BUSQUEMOS SEMPRE A PAZ , INCESSANTEMENTE, ININTERRUPTAMENTE!...

quinta-feira, 7 de junho de 2012

NÃO É UMA INCOERÊNCIA?

SERÁ MESMO A "COPA DO MUNDO" A NOSSA MAIOR PRIORIDADE?



O esporte tem que ser valorizado e muito, pois através dele as crianças crescem e se desenvolvem com valores de disciplina, habilidades, conceitos necessários pra se conviver em grupo e em sociedade, respeito ao próximo, cognição aprimorada para os estudos e para vida, porém, há de se ter consciência que isso é para "TODAS " as crianças, como diz a lei de direitos humanos das crianças e adolescentes...é muita incoerência, a foto já diz tudo!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

POINT DO RIO+20-FORTE DE COPACABANA-RIO DE JANEIRO-RJ

LEIAM:http://www.humanidade2012.net/noticia/forte-de-copacabana-promete-ser-um-dos-points-da-rio20/#.T87eAbBYuQJ

SAIBAM COMO SE INSCREVER NO FORUM DE EMPREENDEDORISMO NO HUMANIDADE 2012:http://www.humanidade2012.net/noticia/saiba-como-se-inscrever-para-o-forum-de-empreendedorismo-no-humanidade-2012/#.T87g9rBYuQJ


Eles vão falar sobre empreendedorismo social, modelos sustentáveis, diversidade, negócios na nova economia, casos contemporâneos de mobilização em tempos de rede, tecnologias de colaboração, moradia cidadã, acessibilidade a recursos hídricos, como tornar as cidades mais sustentáveis, como levar qualidade de vida à sua comunidade em uma série de oficinas e palestras que podem ser visualizadas na íntegra clicando aqui.


Todos podem se inscrever e participar das mesas, discutindo, levantando ideias e sugerindo ações práticas que contribuam para um novo impulso na agenda da sustentabilidade e na emergência de uma nova economia. A participação é gratuita e a partir do dia 25 de maio as inscrições estão abertas ao público no link www.empreendedorismosocial.org.br.

EXERCER A CARIDADE


terça-feira, 5 de junho de 2012

RIO+20 NO COMBATE A POBREZA

Crescimento econômico com sustentabilidade ambiental e combate à pobreza. Esse foi o modelo de desenvolvimento defendido nesta terça-feira (29) pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, na abertura do V Fórum Ministerial de Desenvolvimento, que reúne em Brasília representantes de cerca de 30 países da América Latina, África e Caribe. A secretária-geral adjunta da ONU e administradora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Helen Clark, apoiou o discurso da ministra.
“Só é possível construir um país forte com uma agenda social com ações integradas em todos os ministérios”, disse Tereza Campello. O desafio da superação da fome no Brasil, acrescentou a ministra, inclui o fortalecimento da transferência de renda, de ações de inclusão produtiva, assistência social e de capacitação.
A ministra reforçou ainda que o novo modelo de desenvolvimento social exige casar as três agendas: econômica, social e ambiental.
Segundo Hellen clark, “o sucesso do Brasil quanto à redução da pobreza e desigualdade oferece soluções para vários países.”
A representante do Pnud assinalou ainda que pressões ambientais fazem mais forte a luta contra a pobreza e o aquecimento global e a favor da expansão do saneamento e do acesso a água. Em sua opinião, esses temas precisam ser tratados durante a Rio+20, que ocorrerá no Rio de Janeiro em junho, para que as metas dos Objetivos do Milênio sejam alcançadas em 2015.
Entre as experiências positivas de desenvolvimento sustentável, que alia combate à pobreza e respeito ao meio ambiente, Helen Clark citou o Bolsa Verde do Brasil, a Rede de Segurança Produtiva da Etiópia e a Lei de Garantia de Emprego Rural da Índia. “São exemplos como esses que determinam políticas de redução da pobreza que se espera que sejam propostos na Rio+20.”
Abordagem – O subsecretário da ONU e diretor regional para a África, Tegegnework Gettu, lembrou que transferência de renda era vista como caridade até pouco tempo no Brasil. “O país desafiou essa abordagem e hoje vemos os resultados. O Bolsa Família reduziu a pobreza e a mortalidade infantil”. Ele também defendeu que o ponto máximo de negociação da Rio+ 20 envolva a questão sobre a integração entre economia, social e ambiental. Gettu incluiu ainda políticas que reduzem as diferenças de gênero.
O secretário do Ministério das Relações Exteriores e Cooperação da Espanha, Gonzalo Robles , observou que seu país não está alheio a nada do que acontece na América Latina e na África. Lembrou que a situação atual mostra um paradoxo porque países desenvolvidos estão enfrentando problemas sérios, enquanto a América Latina tem caminhos a oferecer. “O Brasil é um bom exemplo de história de sucesso a ser seguido por todos.”
Representando o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o secretário de Política Econômica, Márcio Holland de Brito, complementou que no Brasil a política social faz parte de um marco importante na queda da desigualdade social, independentemente da conjuntura econômica. Segundo ele, o índice de pobreza representava 30% da população e hoje chega a 9%. Essa redução ocorreu em uma década. “Índice de desemprego invejável, considerado histórico, que está abaixo de 6%”. Brito declarou que a Fazenda trabalha em conjunto com MDS e Ministério do Desenvolvimento Agrário e outros ministérios.
A realização do Fórum Ministerial de Desenvolvimento fora de Nova York, sede da ONU, foi destacada pela ministra Tereza Campello e pelo ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. “É um reconhecimento que os países do Sul oferecem soluções inovadoras”, ressaltou Patriota. De acordo com ele, o país conseguiu conciliar desenvolvimento econômico e inclusão social. O Brasil foi escolhida para sediar o fórum pelo protagonismo de políticas sociais que estão reduzindo a pobreza e desigualdade em tempos de crise.
A troca de experiências no fórum continua até quinta-feira (31). Uma das organizadoras do evento, junto ao MDS, Helen Clark espera sair de Brasília com propostas de políticas que possam ajudar outros países a combater a fome e a pobreza.
Nesta quarta-feira (30), às 17h, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará palestra encerrando os trabalhos do dia.
Roseli Garcia
Ascom/MDS

domingo, 3 de junho de 2012

FAMOSOS E AÇÕES HUMANITÁRIAS

FAMOSOS QUE CONTRIBUEM CONTRA A POBREZA, ESTÃO ENGJADOS EM CAUSAS OU AÇÕES HUMANITÁRIAS!..PARABÉNS!
http://virgula.uol.com.br/ver/album/famosos/2010/10/16/13330-famosos-que-contribuem-contra-a-pobreza


Dilma recebe Bono Vox(vocalista do U2) no Palácio da Alvorada nesta sexta...

Depois da cantora colombiana Shakira, será a vez do líder da banda irlandesa U2, Bono vox, se encontrar com a presidente Dilma Rousseff. A visita está prevista para esta sexta-feira, 8, às 12h30 no Palácio da Alvorada, conforme divulgado pelo Blog do Planalto, em seu perfil no Twitter.
Na reunião, o cantor deve falar sobre combate à pobreza e ações sociais no continente africano. Bono preside a Fundação ONE, voltada a ações humanitárias na África. O cantor está no País para a megaturnê da banda U2, que faz shows nesse sábado, 9, domingo, 10, e quarta-feira, 13, em São Paulo, no estádio do Morumbi.
Em 17 de março, Dilma também tratou de assuntos sociais com a cantora Shakira, que integra fundação voltada à educação de crianças pobres na América Latina. No fim do encontro, a colombiana presenteou a presidente com um violão autografado.08/04/2011.

http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2011/04/08/dilma-recebe-bono-vox-no-palacio-da-alvorada/

Angelina Jolie começou a se envolver com causas humanitárias e, devido aos seus vários trabalhos em favor dos menos privilegiados, ela se tornou embaixatriz da boa vontade do Alto Comissariado para os Refugiados da ONU (UNHCR, em inglês). O UNHCR recebeu duas vezes o Prêmio Nobel da Paz e cuida de mais de 20 milhões de pessoas no mundo todo.



Desde o seu envolvimento com este braço das Nações Unidas, Angelina Jolie viajou para os campos de assistência em Siera Leone, Tanzânia, Camboja, Paquistão e Equador. A atriz admite: "Quando li o roteiro, desconhecia os problemas do mundo nas décadas de 80 e meados de 90. Fiquei chocada quando descobri o que aconteceu na Etiópia, no Camboja e na Chechênia, e tive que obter mais informações porque realmente queria compreender o que era o trabalho assistencial". Enquanto rodou AMOR SEM FRONTEIRAS, Angelina Jolie visitou o Campo Osire, na Namíbia, para refugiados de Angola e, quando as filmagens foram encerradas na Tailândia, ela passou um dia no Campo Tham Hin, para onde foram as pessoas da cidade de Karen que fugiram da perseguição do governo da Birmânia. "Me tornar uma embaixatriz da boa vontade do UNHCR mudou a minha vida. Acho que é o que todos nós devíamos fazer com as nossas vidas e acho que tive a sorte de ter descoberto isso", diz a atriz.


Richard Walden, fundador e presidente da Operations USA, uma organização de assistência internacional baseada em Los Angeles, fala de sua impressão sobre AMOR SEM FRONTEIRAS: "A história me prendeu desde a cena da abertura até a cena final. O filme retrata fielmente o desespero das pessoas dos dois lados da equação - aqueles que precisam de ajuda e os que estão tentando ajudá-los"...leiam mais acessando o link  abaixo!


http://www.webcine.com.br/notaspro/npamsefr.htm


FRAUDES MILIONÁRIAS NO INSS-2012

ISSO DESANIMA QUALQUER CIDADÃO, POIS COMO CONFIAR DE QUE TUDO VAI MELHORAR?PARTIDO POLÍTICO REALMENTE NÃO TEM NADA A VER COM A GARANTIA DE SE TER UMA ADMINISTRAÇÃO PERFEITA...TAMBÉM NÃO PODEMOS CULPAR O REPRESENTANTE DO NOSSO PAÍS POR TUDO, VISTO QUE NÓS VOTAMOS, ELEGEMOS NOSSOS GOVERNANTES!...OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS CORRUPTOS SUBESTIMAM A EFICÁCIA DO SISTEMA DE PROTEÇÃO E GRAÇAS A DEUS TEMOS MUITOS TRABALHADORES HONESTOS RESPONSÁVEIS PELA DEFESA DOS NOSSOS DIREITOS, E É POR ISSO QUE AINDA ESTAMOS SOBREVIVENDO!...QUE DEUS ABENÇÕE AS MENTES SÃS QUE RESPEITAM NOSSA PÁTRIA, NOSSOS CIDADÃOS E PRINCIPALMENTE ESCOLHEM O CAMINHO DO BEM!

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2012/04/suspeito-de-integrar-quadrilha-de-fraude-no-inss-e-preso-no-rj-diz-pf.html


PODE ATÉ SER INTIMADA A DEVOLVER 200 MILHÕES AOS NOSSOS COFRES PÚBLICOS, PORÉM NÃO DEVOLVERÁ VIDAS QUE FORAM CEIFADAS POR PRECARIEDADE NO SUS, POIS ACREDITO QUE ISSO TUDO É UMA BOLA DE NEVE...TIRA DAQUI, REFLETE NEGATIVAMENTE ALI...ENFIM!...COMENTEM AMIGOS!...FIM DO CASO-2012!
http://g1.globo.com/economia-e-negocios/noticia/2010/05/maior-fraudadora-do-inss-e-condenada-devolver-r-200-milhoes.html

http://www.juruaonline.com.br/05/16/policia-federal-prende-cinco-por-fraude-ao-inss/

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2012/06/suspeitas-de-participar-de-fraude-ao-inss-sao-presas-em-pesqueira-pe.html


100 MIL PESSOAS SEM ACESSO A SAÚDE NO ESTADO DO SUDÃO



Após restrições impostas às atividades de MSF, a organização é forçada a suspender serviços médicos essenciais à vida na região de Darfur do Norte.
22 de maio de 2012 - Como consequência às restrições impostas por autoridades sudanesas, a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) se viu forçada a suspender a maior parte das atividades médicas desenvolvidas na área de conflito em Jebel Si, no estado de Darfur do Norte, no Sudão. MSF é a única organização a prover cuidados de saúde na região.
Com a redução de nossas atividades em Jebel Si, mais de 100 mil pessoas ficarão completamente sem acesso à saúde, diz Alberto Cristina, coordenador operacional de MSF no Sudão.
Durante o ano passado, crescentes obstáculos ameaçaram o trabalho de MSF. Carregamentos de medicamentos e outros suprimentos médicos não são autorizados desde setembro de 2011, ao passo que se torna cada vez mais difícil para equipes de MSF obter permissões de trabalho e viagem. Enquanto isso, foram suspensas as opções de transporte para ir ou voltar de Jebel Si.
Sem estoque de medicamentos e com equipes reduzidas, MSF já não pode oferecer consultas ambulatoriais ou internações e o programa de vacinação teve de ser fechado.
Cesáreas que salvam a vida de mulheres com complicações durante o parto já não são mais possíveis. Os estoques de mosquiteiros e kits para partos acabaram, assim como aconteceu com os suprimentos nutricionais.
Sem condições para estabilizar pacientes críticos, equipes de MSF não têm alternativa que não encaminhá-los para o hospital de El Fasher, que fica a oito horas de carro. Isso é particularmente arriscado para mulheres com complicações obstétricas, que têm poucas chances de sobreviver à viagem.
Atualmente, MSF presta apenas serviços limitados direcionados à nutrição, consultas pré-natal e educação para saúde.
“Se não pudermos garantir a entrega de medicamentos e mantimentos para nosso hospital e postos de saúde em breve, é provável que haja surtos de algumas doenças e a quantidade de mortes de mães e recém-nascidos pode alcançar patamares emergenciais”, conta Cristina.
Os índices de mortalidade materna na região são críticos e surtos de doenças tratáveis e passíveis de prevenção, tais como meningite e sarampo, são comuns, bem como a desnutrição. Nos últimos dois anos, MSF tratou 1.805 crianças desnutridas com menos de cinco anos em Kaguro.
MSF deu início aos trabalhos de assistência médica na região de Jebel Si em 2005, por meio de um único posto de saúde; já em 2008, passou a administrar um hospital rural em Kaguro e cinco postos de saúde pela região, que são as únicas unidades de saúde na área e atendem uma população permanente de cerca de 100 mil pessoas. Somam-se a elas cerca de 10 mil nômades sazonais, todos completamente dependentes dos cuidados e assistência emergencial oferecidos por MSF.
Não há postos de saúde locais na região nem outras organizações internacionais prestando assistência médica. As instalações do Ministério da Saúde mais próximas ficam a várias horas de carro dali, mas a insegurança na área, assim como o território montanhoso e as estradas ruins, dificultam muito o acesso.
“MSF espera que a situação seja resolvida”, diz Alberto Cristina. “A organização está preparada para retomar atividades uma vez eliminadas as restrições impostas ao seu trabalho. Quando os suprimentos médicos, equipamentos logísticos e equipes internacionais puderem chegar à região, as equipes de MSF estarão prontas para oferecer serviços básicos de saúde para a população de Jebem Si.”
MSF pede que o governo do Sudão conceda o apoio necessário para que os trabalhos possam ser retomados e a população da região tenha acesso a cuidados médicos vitais.
O relatório de MSF sobre o caso, “Somebody Help” (“Alguém ajude”, em português), será divulgado hoje. O material já foi compartilhado com o governo do Sudão, juntamente com pedidos urgentes de liberação das restrições impostas ao trabalho da organização.
 
MSF iniciou trabalhos em Darfur em 1985 e tem oferecido serviços médicos na região continuamente desde 2004. Atualmente, MSF está presente em diversas localidades de Darfur do Norte, incluindo Shangil Tobaya, Tawila, Dar Zaghawa, bem como Shaeria, em Darfur do Sul, oferecendo serviços que envolvem cuidados primários e secundários de saúde, além de tratar emergências.



sábado, 2 de junho de 2012

MISÉRIA NA ÁFRICA

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS SÃO OS QUE DRIBLAM AS GUERRAS, OS PERIGOS POR AMOR AO PRÓXIMO

UM EXEMPLO DO MSF TENTANDO AJUDAR NOUTROS PAÍSES EM GUERRA 2012:

http://pt.euronews.com/2012/01/26/msf-suspende-operaces-em-localidade-libia/

http://topicos.estadao.com.br/otan

http://www.suapesquisa.com/o_que_e/otan.htm

http://oglobo.globo.com/mundo/msf-denuncia-tortura-em-prisoes-libias-milicias-fogem-do-controle-3766533



FUNDADOR DO MÉDICOS SEM FRONTEIRAS




cirurgião francês, Jacques Bérès, de 71 anos, sempre presente em zonas de conflito ao redor do mundo, esteve há menos de 15 dias na cidade síria de Homs, a 35 quilômetros da fronteira com o Líbano, lá onde oficialmente nenhuma grande ONG envia equipes humanitária atualmente. Sitiado há semanas, o terceiro maior município do país é alvo de intensos bombardeios e ataques terrestres durante a ofensiva das forças do presidente sírio, Bashar Al-Assad, contra o movimento de contestação armado que quer a sua queda do governo.

 De acordo com Jacques Bérès, que já atuou em diversas zonas de conflito, situação no país é "catastrófica.
É uma guerra civil, diz fundador do Médicos sem Fronteiras sobre caos na Síria.
CHARGES SITUAÇÃO POLÍTICA SÍRIA POR CARLOS LATUFF:http://latuffcartoons.wordpress.com/tag/syria/



GAZA 2012-MÉDICOS SEM FRONTEIRAS

http://www.msf.org.br/noticias/1425/territorios-ocupados-palestinos-msf-abre-unidade-de-terapia-de-mao-na-faixa-de-gaza/

http://www.msf.org.br/noticias

http://www.diabetes.org.br/para-o-publico/tudo-sobre-diabetes/92-entrevistas-e-reportagens-/794-a-escassez-de-insulina-em-zonas-de-guerra

SOFRIMENTO DE GAZA




Médicos Sem Fronteiras: Bloqueio prejudica saúde de palestinos

O bloqueio de Israel ao território palestino da faixa de Gaza, iniciado em 2007 sob o pretexto de impedir a entrada de armas 
para os guerrilheiros da resistência à ocupação

dificulta o atendimento médico aos moradores da região, 

afirma a ONG internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) 

em relatório divulgado nesta terça-feira (14).

A entidade faz um balanço dos dez anos de atuação em Gaza e diz que, embora o bloqueio tenha sido um pouco diminuído em 2010, depois da ação criminosa de Israel contra barcos de ajuda humanitária, que deixou nove ativistas mortos, “as restrições à entrada e saída de pessoas e materiais continuam”. E, segundo o relatório, essas restrições contribuem para deteriorar a saúde dos palestinos.
A MSF afirma que, por causa dos impactos relacionados ao bloqueio imposto por Israel na saúde, mais de 500 pacientes terão que esperar entre 12 e 18 meses por uma cirurgia em Gaza.




UNICEF- ONDE ATUA


Alcançarem importantes melhorias na qualidade de vida de crianças e adolescentes.

Apesar de estar presente em praticamente todo o território nacional, o UNICEF reconhece que as regiões Norte e Nordeste – especialmente no Semiárido e na Amazônia –, as periferias urbanas, as nações indígenas e as comunidades quilombolas são as que possuem os piores indicadores sociais no Brasil.
Por isso, para universalizar os direitos de crianças e adolescentes, é preciso centrar foco em algumas áreas geográficas do Brasil. São elas:
  • o Semiárido brasileiro, onde se encontram os piores indicadores sociais e mais de 70% dos 13 milhões de crianças e adolescentes vivem na pobreza;
  • a Amazônia, onde vivem 9 milhões de crianças e adolescentes de considerável diversidade étnica e social, habitando esparsamente enormes áreas onde o desenvolvimento econômico, social e institucional é precário;
  • as comunidades populares dos centros urbanos do País, onde a violência assume índices crescentes.
Ao elegermos essas prioridades geográficas, estamos reafirmando o compromisso de chegar a todas as crianças e a todos os adolescentes com a clara consciência de que para chegar a todos é preciso chegar a cada um deles, com suas características específicas, suas situações peculiares e suas histórias singulares. 

http://www.unicef.org.br/


DIA MUNDIAL DO TRABALHO HUMANITÁRIO


No dia 19 de agosto se comemora o Dia Mundial da Ajuda Humanitária. Este ano, o dia chamará a atenção para o que significa ser um profissional de ajuda humanitária ao descrever o trabalho que fazem, explicar os princípios que os orientam e retratar os perigos que eles enfrentam durante o exercício de seu trabalho. Neste dia serão homenageados os profissionais de ajuda humanitária que foram mortos ou feridos durante a realização de seu trabalho. A Assembleia Geral das Nações Unidas, que determinou esse dia em 2008, convida todas as entidades da ONU e organizações internacionais e não governamentais a celebrar este dia todos os anos, dando-lhe a oportunidade de aumentar o apoio público ao trabalho humanitário no mundo todo.

SITUAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO RJ-MAIO 2012-CAOS!



REVOLTADA, MÉDICA GRITA POR AJUDA EM PORTA DE HOSPITAL NO RIO DE JANEIRO!